Núcleo de Práticas Integrativas inaugura pronto socorro energético no Hospital Rafael Fernandes

Em meio à movimentação rotineira no corredor do hospital, com profissionais de várias áreas e pacientes transitando a todo instante, uma música relaxante tocando baixinho, vinda de uma das salas, contrasta com as vozes e passos apressados que ressoam no ambiente. Dentro da sala, onde se pode ouvir a música com mais clareza, não é apenas o som que destoa da agitação frequente dos outros cômodos. A iluminação diferenciada e os ornamentos presos ao teto e às paredes conferem uma atmosfera distinta à local, o qual, à sua maneira, compartilha do mesmo propósito dos outros espaços do hospital: cuidar da saúde.

É nessa sala, localizada em um dos corredores do Hospital Rafael Fernandes, que funciona, a partir desta quinta-feira (28), o pronto socorro energético – projeto do Núcleo de Práticas Integrativas e Complementares da Faculdade de Enfermagem (Nupics/Faen) que oferece aos funcionários da unidade de saúde um conjunto de atividades voltadas à saúde e ao bem-estar.

Entre as práticas que serão oferecidas, estão massoterapia, cromoterapia, meditação, auriculoterapia, reiki, ventosaterapia e aromaterapia. As ações serão realizadas por alunos e profissionais que compõem o Nupics, os quais se revezarão em plantões para atender os funcionários do hospital todos os dias da semana. A iniciativa, pioneira no país, foi desenvolvida a partir de uma parceria entre o núcleo e a direção do hospital.

Na manhã desta quinta-feira, a equipe do núcleo promoveu um workshop apresentando as práticas integrativas para os funcionários da unidade de saúde, que participaram de sessões de ventosaterapia e auriculoterapia.

“Na nossa rotina, que é bem desgastante, essas práticas fazem muita diferença, principalmente depois da pandemia, que está sendo um período ainda mais intenso. Eu já fiquei num plantão com um vaso da perna rompido, por exemplo, por conta do tempo que fiquei em pé. Esses cuidados são muito importantes”, conta o enfermeiro Belmiro Júnior, um dos servidores do hospital que foram atendidos nesta quinta-feira.

Conforme Belmiro, o uso das práticas é importante não apenas para o bem-estar imediato dos funcionários, mas também para ajudar a evitar o adoecimento psicológico, a exemplo da síndrome de burnout, caracterizada pelo esgotamento físico e mental, comumente decorrente do stress e da sobrecarga de trabalho. “E a nossa área da saúde tem sido bastante afetada pelo burnout”, frisa o enfermeiro.

Se é importante para a saúde dos servidores que são atendidos, o projeto também traz benefícios para os integrantes dos núcleos, que têm a oportunidade de realizar as práticas em outros ambientes e interagir com outros profissionais.

“Fazer a prática aqui (no pronto socorro energético) é um pouco diferente, porque aqui nós estamos cuidando de quem cuida também. E são pessoas que costumam lidar muito com stress, que tendem a sofrer uma pressão maior. Pra gente, então, é também muito gratificante cuidar também das pessoas que são da nossa área”, comenta o estudante Fernando Santos, aluno do sétimo período do Curso de Enfermagem da Uern e há dois anos membro do Nupics.

Conforme a coordenadora do Nupics, professora Isabel Amaral, as práticas não irão se restringir aos profissionais de saúde, mas estão disponíveis para todos os funcionários que atuam no hospital, de todas as áreas.

“O workshop foi um marco para a apresentação das práticas integrativas e complementares e nós estaremos agora à disposição para trabalhar para a promoção da saúde desses trabalhadores, que são verdadeiros guerreiros”, salienta a professora, que é também pró-reitora de Gestão de Pessoas da Uern.